CAMPANHA


[Da esquerda para a direita: o blogueiro, José Arbex Jr. (à época, do Conselho Editorial do Brasil de Fato) e Léo Santana, quando do lançamento do Brasil de Fato em São Luís, no auditório do Sindicato dos Bancários. A foto foi publicada no Diário de Bordo, coluna da colega Vanessa Serra no Jornal Pequeno, em 4 de julho de 2003]

Quando somos (tele-)guiados a um pensamento único, são mais que louváveis iniciativas – e a duração das mesmas – como a versão brasileira do Le Monde Diplomatique e, mais velho, o Brasil de Fato, jornal alternativo de que fui assinante logo que começou a circular (à época, cheguei a ter a honra de publicar notinhas em sua agenda).

O Le Monde-BR, chamemos assim, vai bem: de circulação mensal, completou um ano recentemente e você acha em bancas com facilidade, a R$ 8,90 ou 9,90, a memória me foge e estou sem exemplar em mãos enquanto escrevo.

O Brasil de Fato está ameaçado. Sobrevivendo de assinaturas, venda em bancas e publicidade (pouca), o jornal vê a Chinaglia (que o distribui) ser vendida para a Editora Abril, que, convenhamos, não tem interesse nenhum em publicações do tipo. Sob nova direção (nem programa da Globo nem slogan besta de candidato copiando-o), a distribuidora já impôs uma cota mínima de vendas ou a suspensão do contrato com o semanário.

Iniciou-se assim, uma campanha, que funciona de modo bastante simples, em que espero contar com a participação de todos os leitores que puderem fazê-lo. Recebi, por e-mail, uma relação de bancas de revista que vendem o Brasil de Fato em todo o país: vergonhosamente São Luís não tem nenhuma. Aliás, não tinha: eu já falei com Dacio, proprietário da banca do estacionamento da Praia Grande. A partir de semana que vem, leitores ludovicenses poderão comprar o Brasil de Fato por ali.

Se você tiver alguma outra banca para sugerir, passe o contato para Valdinei, responsável pelo setor de assinaturas do Brasil de Fato. O e-mail é valdinei@brasildefato.com.br

Além de garantir a venda em bancas (que, sabemos, vai além da disponibilidade do jornal nelas), faça também uma assinatura. A anual custa apenas R$ 105,60 e pode ser parcelada em até quatro vezes, via boleto bancário, cheque, cartão de crédito ou depósito em conta.

Compre e dê para amigos, convença seu chefe a assinar para o escritório e seus colegas de trabalho a receber em casa, estimule a leitura de parentes, estudantes, enfim, participe dessa campanha. Nela, todo mundo sai vitorioso.

4 comentários sobre “CAMPANHA

  1. nhambuzim 22 de agosto de 2008 / 16:01

    Olá ZemaSeu blog é muito legal e como conteúdo muito interessanteParabéns.Retribuindo a visita.Edson PenhaNhambuzim – São Paulo

  2. zema ribeiro 22 de agosto de 2008 / 16:07

    obrigado, edson. em breve o nhambuzim pinta cá por este espaço, depois de sair nalgum jornal daqui. aviso. grande abraço!

  3. Anonymous 27 de agosto de 2008 / 12:36

    Tive a honra de trabalhar com o Arbex, na Caros Amigos.uma das pessoas mais integras que conheci. não é a toa que ele feaz o prefácio do livro, “palestina”, de Joe Sacco, na edição Brasileira.conversamos algumas vezes. sobre mulheres e amores capitalistas, o cara é foda.abraço forte, grande Zema.Stocker.

  4. zema ribeiro 29 de agosto de 2008 / 8:33

    eu não esqueço a risada dele, risos. figuraça! abração!

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s