Leo Gonçalves, Reuben da Cunha Rocha e Lawrence Ferlinghetti

Desde que conheci Reuben, tenho acompanhado com entusiasmo todas as suas incursões artísticas. Jornalista, poeta, escritor, tradutor, músico e ensaísta, certamente não apenas, e não necessariamente nessa ordem, é o cara que virou amigo, irmão e ídolo, não necessariamente nessa ordem.

Reuben já abriu e fechou vários blogues e, repito, a cada nova página, saúdo-a com entusiasmo, torcendo por sua vida longa. Cada revista em que se publicam textos seus, é por mim lida com voracidade, começando, é claro, pelas páginas ocupadas por seus trabalhos. Trabalhos, sim: Reuben leva a sério seu ofício, ele que em breve deve lançar o volume de poemas Manual pra assassinar papas (que já li e, não poderia ser diferente, também me deixou bastante entusiasmado). Mesmo sua monografia de conclusão de curso (Jornalismo/UFMA) fugiu dos rigores acadêmicos e é um trabalho que bem poderia virar livro (sobre a influência de Burroughs no cinema de Cronenberg). E vem aí a dissertação, sobre o que mais não digo, por enquanto.

Direto ao assunto: a mais recente nova de Reuben é o CavaloDada, cujo exercício é colaborar com o debate de ideias, pegando algum texto de alguém e respondendo, acrescendo, negando. Leo Gonçalves recentemente traduziu alguns aforismos de Lawrence Ferlinghetti, de Poesia como arte insurgente (Poetry as insurgent art), e jogou na rede. Um iniciou, o outro continuou o exercício.

Para saber mais sobre o autor de Um parque de diversões na cabeça, recentemente relançado pela L&PM Pocket, e sobre o livro aqui tratado, clique nos links espalhados pelo post.

Abaixo, alguns aforismos, tanto traduzidos por Leo Gonçalves quanto por Reuben (para saber quem traduziu o quê, cliquem aqui e aqui).

Não deixe dizerem que vocês poetas são parasitas.

Se não tem nada a dizer, não diga.

Não tenha a cabeça tão aberta a ponto de seu cérebro cair.

A não ser que precise cantar, não abra sua boca.

A guerra contra a imaginação não é a única guerra. Usando o desastre das Torres Gêmeas do onze de setembro como desculpa, os Estados Unidos iniciaram a Terceira Guerra Mundial, que é a Guerra contra o Terceiro Mundo.

Desafie o capitalismo disfarçado de democracia.

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s