Internado, Léo, do Bar, precisa de sangue

Está internado no Centro de Terapia Intensiva do Hospital Tarquínio Lopes, o Geral, Leonildo Peixoto Martins, mais conhecido como Léo, proprietário do Bar do Léo, localizado no Hortomercado do Vinhais.

O blogueiro abraçado por Elvas Ribeiro, o Parafuso (E), e Léo (D), numa das raras ocasiões em que este foi visto fora de seu bar: uma edição do saudoso projeto Clube do Choro Recebe

Léo se submeteu a uma cirurgia e foi vitimado por uma hemorragia. Está precisando de bolsas de sangue tipo O+. Doadores deste e de quaisquer outros grupos sanguíneos podem fazê-lo: o Centro de Hemoterapia do Maranhão procede a troca. Doadores podem se dirigir ao Hemomar (Rua 5 de Janeiro, Jordoa) levando o nome do paciente e do hospital em que ele está internado.

O Bar do Léo, espécie de museu da música administrado por ele, cumpre uma importantíssima função de preservação da memória musical brasileira. Entre cds, vinis e k7s, são mais de 15 mil títulos de todos os gêneros musicais brasileiros, além de livros, obras de arte e antiguidades. As mesas do bar, por exemplo, são antigos pés de máquinas de costura.

Autor: Zema Ribeiro

Homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais. Pai do José Antonio. Apresenta o Balaio Cultural (com Gisa Franco, aos sábados, das 13h às 15h, na Rádio Timbira AM) e o Radioletra (com Suzana Santos, aos sábados, às 20h45, na Rádio Universidade FM e reprise na Timbira AM, às 21h). Coautor de "Chorografia do Maranhão" (Pitomba!, 2018) e autor de "Penúltima página: Cultura no Vias de Fato" (Passagens, 2020). Antifascista.

6 comentários em “Internado, Léo, do Bar, precisa de sangue”

  1. Que DEUS esteja com ele em sua recuperação!
    Inclusive, este senhor é uma das mais importantes figuras ilustres de nossa cidade, no que tange, seu amor pelos arquivos musicais que, com toda certeza, cultivou durante esses anos de sua vida.
    Como todo bom ludovicence devemos ajudá-lo neste momento de sua vida.

  2. Conheço Léo há muito tempo, meu finado avô era um frequentador assíduo do bar antes mesmo de ser o que é hoje. Gosto muito de lá e ao contrário do que falam, Léo é um cara espetacular e generoso. Ele mantém o bar por amor, sendo o lugar, um dos mais visitados por turistas, em uma cidade tão carente de opções para visitantes . Sou doador e vou na Hemomar doar sangue para ele, meu tipo sanguíneo é O+. Força Léo. Deus está contigo!!!

  3. cipriano e luiz eduardo: obrigado pela disposição, fé e sangue. com todo esse pensamento positivo e atitudes, léo certamente sairá dessa e poderá logo, logo voltar a nos alegrar com sua “discotecagem” de ótimo gosto, seu grande conhecimento do assunto e os causos deliciosos que conta. abração!

  4. Eu agradeço do fundo da minha alma e de todo o meu coração pelas pessoas e amigos que doaram sangue ao meu irmão.Peço a Deus por todos vocês.
    Muito, muito obrigada .
    Darlene Peixoto Martins

  5. Eu agradeço do fundo da minha alma e de todo o meu coração pelas pessoas e amigos que doaram sangue ao meu irmão.Peço a Deus por todos vocês.
    Muito, muito obrigada .
    Darlene Peixoto Martins
    Curitiba-Paraná

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s