O “príncipe do samba” subiu

“Descendo o morro” (1958)…

Em 1958 quando o Brasil inventava a Bossa Nova, Roberto Silva estava Descendo o morro, disco de capa e conteúdo bonitos, que mereceria um segundo volume, idem, no ano seguinte.

… e seu volume dois, do ano seguinte.

Nestes dois discos estão gravações antológicas de sucessos obrigatórios em qualquer roda de samba ou discografia de música brasileira: no primeiro Juracy (Antônio Almeida/ Ciro de Sousa), Pisei num despacho (Elpídio Viana/ Geraldo Pereira), Ai, que saudade da Amélia (Ataulfo Alves/ Mário Lago), Falsa baiana (Geraldo Pereira) e A voz do morro (Zé Ketti), entre outras; no segundo Se acaso você chegasse (Felisberto Martins/ Lupicínio Rodrigues), Você está sumindo (Geraldo Pereira/ Jorge de Castro), Escurinho (Geraldo Pereira), Rugas (Ary Monteiro/ Augusto Garcez/ Nelson Cavaquinho) e, entre outras, Maria Tereza (Altamiro Carrilho). Verdadeiras antologias do samba popular brasileiro.

Este par de discos e uma vida inteira dedicada ao gênero valeram-lhe o epíteto de “príncipe do samba”. Assim foi reconhecido e por estas e outras merece todas as homenagens: Roberto Silva faleceu aos 92 anos, na madrugada de ontem. O cantor lutava há seis meses contra um câncer na próstata e quarta-feira passada foi vitimado por um AVC. Lúcido, pediu para voltar para casa, onde morreu na companhia de familiares.

Faleceu na ativa, tendo ido reencontrar-se com esta turma boa que gravou. Um dia desceu o morro, ontem subiu ao céu: o panteão dos que carregam a bandeira do samba, ilustres ou anônimos, com ou sem títulos de nobreza.

Autor: Zema Ribeiro

Homem de vícios antigos, ainda compra livros, discos e jornais. Pai do José Antonio. Apresenta o Balaio Cultural (com Gisa Franco, aos sábados, das 13h às 15h, na Rádio Timbira AM) e o Radioletra (com Suzana Santos, aos sábados, às 20h45, na Rádio Universidade FM e reprise na Timbira AM, às 21h). Coautor de "Chorografia do Maranhão" (Pitomba!, 2018) e autor de "Penúltima página: Cultura no Vias de Fato" (Passagens, 2020). Antifascista.

5 comentários em “O “príncipe do samba” subiu”

  1. Aqui e acolá esse antenado blog nos traz notícias tristes. É a vida.Lamento muito a partida do principe do samba.
    Abraços amigo Zema.
    Mardônio.

diga lá! não precisa concordar com o blogue. comentários grosseiros e/ou anônimos serão apagados

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s