Obituário: Laurentino Sacramento

Foto: Fran Gomes
Foto: Frame de vídeo/ Fran Gomes no Facebook/ Reprodução

Fundador do Lelê de São Simão – povoado de Rosário/MA –, Laurentino Sacramento faleceu por volta de meio dia de ontem (10), aos 81 anos, e foi sepultado na manhã de hoje (11). Sofria de Mal de Parkinson e estava com os órgãos vitais bastante comprometidos, inclusive há muito andava encurvado, em decorrência de problemas na coluna vertebral.

Discípulo do mestre, o violonista Fran Gomes, que ao longo dos últimos 14 anos acompanhou-o nas apresentações da dança, lamentou a perda em uma rede social: “A cultura de Rosário/MA acaba de perder um grande baluarte. [Laurentino] Era uma figura simples, como tinha que ser, amante da cultura popular. Descanse em paz, mestre, cantador, paizão”.

Sua subida é uma perda irreparável para a cultura popular do Maranhão. Mestre de uma dança singular, Louro, como era conhecido entre os mais íntimos, tinha a mesma estatura artística de uma Elza (da dança do Caroço de Tutóia), de uma Teté (do Cacuriá a que deu nome), de um Felipe (do Tambor de Crioula a que deu nome), de um Donato Alves (do bumba meu boi de Axixá), para ficarmos em uns poucos exemplos de mestres saudosos e fundamentais.

*

Em tempo: lamentável a cobertura zero dispensada à perda pelos meios de comunicação maranhense. Fui alcançado pela notícia ruim ontem à noite, no aeroporto de Brasília/DF, via tuiter. Obrigado, Raydenisson Sá e Fran Gomes!

Muvuca em São Luís

Não tenho curtido a fase mais recente (nem tão recente assim) da Regina Casé, mas o programa abaixo, ao qual cheguei via Tairo Lisboa, vale a pena, se não por mais nada, por ter levado ao Brasil (e espero que para levar novamente, agora) gente como Patativa (o violonista Luiz Jr. está cuidando de num futuro próximo essa história da diva madredivina não ter disco gravado caducar), a saudosa Dona Teté do Cacuriá (“tem que ter sacanagem pra ficar bonito”) e a poetutóia Dona Elza do Caraço.

Outras figuras conhecidas aparecem, como o violonista Abreu e o percussionista Erivaldo Gomes, ambos na roda que forma-se ao redor de Patativa, e Toinho do Piaçaba. Infelizmente não consegui descobrir de quando é o vídeo, mas já faz algum tempo: a carteira de cigarro custava R$ 1,25. O programa foi ao ar em 1999.