Minha homenagem a Humberto de Maracanã

Foto: Murilo Santos
Foto: Murilo Santos

 

Conheci mais de perto Humberto de Maracanã no início da década de 1970, quando eu integrava o grupo Laborarte. Nesse período percorremos várias comunidades do interior da ilha de São Luís apresentando o espetáculo João Paneiro, escrito por Tácito Borralho e Josias Sobrinho. A peça, encomendada pelas Irmãs de Notre Dame de Namur, Barbara e Anne Caroline, que atuavam na área, iniciou a discussão sobre a implantação dos grandes projetos que atingiram as comunidades.

Humberto foi uma das lideranças importantes nesse debate. Algum tempo depois, em 1982, fui convidado pelas mesmas Irmãs de Notre Dame de Namur, para documentar as ações da Associação de Lavradores do interior da ilha de São Luís, onde Humberto exercia forte militância. Nesse período não faltaram oportunidades de acompanhar o Humberto compositor e cantador.

A foto registra meu candidato a vereador pelo PT nas eleições de 1982. O grande cantador de boi Humberto de Maracanã reuniu em torno de seu veículo de campanha, esposa e filhos. Humberto não se elegeu. Entretanto, a campanha rendeu uma bonita toada.

*

Texto e foto roubados do perfil de Murilo Santos no facebook.

*

Humberto Barbosa Mendes (2 de novembro de 1939 – 19 de janeiro de 2015), o Humberto de Maracanã, faleceu na tarde de ontem, aos 75 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos. Havia sido internado dias antes, por conta de diabetes, tendo chegado a amputar uma perna.

Em 2008 foi o homenageado do Prêmio Culturas Populares do Ministério da Cultura. Autor da antológica toada Maranhão, meu tesouro, meu torrão, além de liderar o centenário grupo de bumba meu boi que lhe deu sobrenome artístico, integrava o coletivo Ponto BR, ao lado de outros mestres e bambas (Éder “O” Rocha, Henrique Menezes, Renata Amaral, Thomas Rhorer, Walter França e Zezé Menezes), considerado melhor grupo regional no Prêmio da Música Brasileira de 2012.

Ponto BR na Nauro Machado hoje

Sabem quando uma ruma de mestres se junta pra fazer coisa  boa? Quem já viu o show ou ouviu o disco do Ponto BR sabe exatamente do que tou falando. Uma ideia? Se você acessar o site do coletivo e seu computador tiver umas caixinhas de som, é por aí…

A trupe é formada por Éder “O” Rocha (ex-Mestre Ambrósio), Henrique Menezes (Casa Fanti-Ashanti), Humberto de Maracanã (bumba meu boi homônimo), Renata Amaral (A Barca), Thomas Rohrer (A Barca), Walter França (Maracatu Nação Estrela Brilhante) e Zezé Menezes (Casa Fanti-Ashanti).

O grupo já conta mais de 10 anos de estrada, formado a convite do Festival Wemilere, em Guanabacoa, Cuba. Lançaram o cd Na Eira e também fizeram shows em São Paulo e na Turquia.

Melhor Grupo Regional na edição 2012 do Prêmio da Música Brasileira, o Ponto BR se apresenta hoje (27), às 21h, na Praça Nauro Machado (Praia Grande), com participações especiais de Dindinha Menezes e Ribinha de Maracanã. Estão em turnê pelo país, selecionados pelo edital Natura Musical.